• Persa Planejamento Financeiro

A IMPORTÂNCIA DA CAPACIDADE DE POUPAR

Atualizado: 1 de mar. de 2021

Há diversos estudos e pesquisas que vem atestando que toda a pessoa, de maneira geral, é influenciada por sua família, e a formação que ela lhe deu, bem como por traços de personalidade na forma como se lida com o dinheiro.


Neste contexto, temos desde o conhecido consumista inveterado até o sovina, o avarento.


E no meio deste grande contexto, temos aquelas pessoas que, por diversas razões, consegue, de alguma forma, poupar, investir. E estas pessoas conseguem poupar, investir, pois o fazem pensando, almejando alguns dos seguintes objetivos:


1) Adquirir bens;

2) Custear despesas futuras;

3) Fazer uma Reserva Financeira;

4) Para garantir uma aposentadoria digna;

5) Para abrir um negócio próprio;

6) Alcançar a tão sonhada independência financeira; e/ou

7) Para que seus herdeiros não passem dificuldade financeiras.


No mundo dos investimentos é fato que: quanto maior for o grau de poupança maior a necessidade de segurança financeira da pessoa. Sempre, contudo, levando-se em consideração os aspectos psicológicos de cada personalidade, uma vez que poupar, investir significa adiar o potencial consumo atual para o futuro. E a poupança, o investimento, quando planejado e efetivado, é canalizado, em linhas gerais, para: aplicações financeiras, compra de ações e imóveis, abertura de um negócio próprio, dentre outros exemplos.


É interessante verificamos que, no começo, poupar, investir não estimula muito, pois o efeito dos juros compostos ainda não são percebidos, mesmo assim, a poupança de recursos é muito mais importante nos primeiros anos de construção do patrimônio pessoal e com o tempo o habito de investir assumirá papel primordial na sua vida.


Importante ter em mente que o rendimento real gerado pelos seus investimentos é o que fornecerá o seu sustento, pois a capacidade de poupança, quando você estiver vivendo uma fase de atividades produtivas, tende a diminuir na terceira idade, quando a pessoa, em geral, para de trabalhar ou dá uma desacelerada.


Assim, fica patente percebemos que, quando mais cedo você começar a investir (no mínimo 10% da renda), muito mais rapidamente os seus objetivos serão alcançados.


E não adianta alegar que você não poupa porque ganha pouco. Em pesquisa e estudos realizados têm se observado que a capacidade de poupar está diretamente ligada à disciplina e à aspectos psicológicos de cada personalidade, bem como a capacidade de controlar seus gastos. Assim, podemos encontrar no dia a dia tanto poupadores e consumidores inveterados desde o funcionário mais humilde até pessoas extremamente bem remuneradas, o que demonstra a irrelevância do nível de renda.


E quando falamos de poupar, investir não podemos esquecer da palavra-chave: diversificação. Diversos estudos internacionais demonstram que o tão assustador investimento em ações supera em rendimento todos os outros investimentos tradicionais no longo prazo, embora apresente maior volatilidade (oscilação).


Dessa forma, podemos sim aferir que deixar de investir uma parcela do seu patrimônio no mercado acionário significa abrir mais de uma renda adicional significativa, em nome de um discutível “conservadorismo”. Quem age desta forma, no longo prazo, terá um patrimônio menor e demorará muito mais tempo para atingir seus objetivos.


Portanto, podemos concluir que poupar/investir o quanto antes, buscando e praticando boas técnicas de investimentos, muitas das vezes contratando, para tanto, um consultor de investimentos (credenciado pela CVM – Comissão de Valores Mobiliários), assumindo, por meio da diversificação dos produtos financeiros em seu portfólio, certo risco [este calculado conforme seu perfil], é a melhor estratégia para ter uma vida de equilíbrio e de paz financeira, bem como para alcançar seus objetivos.




8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo