• Persa Planejamento Financeiro

COMO QUITAR DÍVIDAS E SE TORNAR UM INVESTIDOR

É de conhecimento de todos que a população brasileira está cada vez mais endividada. E, muitas vezes, em busca de soluções rápidas, essas pessoas acabam se enrolando ainda mais ao tomar decisões precipitadas. E sempre defendemos que o endividado deve sempre quitar primeiro suas dívidas para, depois, começar a investir. Dados recentes demonstram que que quase 17% da população brasileira está endividada!


E aí vem a pergunta: é possível quitar as dívidas? Sem dúvida é a nossa resposta. Contudo, equilibrar as finanças exige sempre duas coisas: (i) disciplina e (ii) comprometimento. Você deve estabelecer prioridades, fixar o que é realmente importante para você. Reflita sempre sobre o que é mais importante para você: comprar um apartamento, trocar de automóvel?Perceba que todas as suas escolhas serão sempre determinantes para que você possa traçar metas visando realizar seus sonhos, sempre conforme o seu orçamento. Assim, é vitral que você tenha um controle financeiro, um orçamento bem estruturado. Pois bem, voltando às dívidas, você precisa entender que existem 2 tipos de dívidas: 1 – As Dívidas construtivas que são aquelas que se adquire para realizar sonhos maiores, como a casa própria, por exemplo; e elas aparecem especialmente a partir de empréstimos e financiamentos; e 2 – As Dívidas supérfluas que são aquelas que você contrai ao não controlar o orçamento de maneira correta (podemos citar o rotativo do cartão de crédito e o cheque especial).


E existem 2 tipos de endividados: os Conscientes¸ que são aqueles que estão cientes da questão, (podemos nos referir a uma pessoa que paga os financiamentos em dia ou alguém que já renegociou a dívida); e os Imprudentes que são aqueles que, por diversos motivos, se recusam a aceitar que a situação perdeu o controle, e que ainda não se organizaram para quitar seus débitos.


Como quitar as dívidas: Como sempre defendemos, dinheiro lhe proporciona liberdade de escolha, e são essas escolhas que lhe trarão (ou não) felicidade. E essas escolhas poderão proporcionar também qualidade de vida, isto é, mais segurança e tranquilidade na sua vida. Abaixo, um passo a passo para você poder quitar suas dívidas:


1) Controle seus gastos: Como já vimos em artigos anteriores que publicamos, o controle efetivo dos seus gastos será determinante para você quitar suas dívidas. Faça um planejamento financeiro (e neste ponto recomendamos que você contrate um planejador financeiro) e entenda como funciona o seu fluxo de caixa. Com isso você conseguirá ter uma visão mais ampliada da situação.


2) Entenda a razão da dívida: Após o controle de seus gastos, você precisa entender como e por que surgiu aquela dívida. Analise de forma detalhada as suas contas, não deixe de fora nem mesmo os presentes que comprou ou o lanche que comeu. Com esses dados bem delineados, reflita e se pergunte: onde foi que tudo começou? A causa do seu endividamento foi o cheque especial ou o cartão de crédito? Por que? Foi por causa da crise econômica, a renda da família foi prejudicada? Entenda que, ao descobrir como a situação teve início, será vital para te ajudar a solucionar o problema.


3) Avalie a qualidade do seu consumo: Sempre avalie a qualidade do seu consumo. Aquela assinatura de revista que você nem lê, que custa R$ 100,00 por mês (estamos falando de R$ 1.200,00 ao ano), vale a pena? R$ 1.200,00 ao ano pode se traduzir uma excelente viagem para a praia no final do ano, não é? Analise profundamente quais são suas maiores despesas e defina onde é possível cortar. E, quanto aos gastos com lazer, tente sempre priorizar os programas gratuitos como festivais e shows públicos.


4) Liste suas dívidas e as priorize: Dê sempre prioridade para as dívidas que possuam os maiores juros, como o cheque especial e o cartão de crédito. As altas taxas são responsáveis por criar aquele efeito de bola de neve, que torna cada vez mais difícil resolver o problema. Pense também em delimitar um prazo plausível para quitar tudo.


5) Renegocie seus débitos: Nunca descarte a possibilidade de renegociar a dívida. Fale com o seu credor e solicite uma redução dos juros (ou mesmo uma mudança no tipo de financiamento). Às vezes, dependendo caso, vale a pena migrar para o crédito consignado (por exemplo). Importante: nunca tenha vergonha de ligar para o seu credor e pedir a renegociação da dívida. Ele sempre tem interesse em receber seu pagamento.


6) Aproveite sempre sua renda extra: Toda e qualquer renda extra que tiver (ex: saldo do FGTS, ou o seu 13° salário) pode ser sempre usada para quitar parte (ou até o total) da sua dívida! Não gaste esta renda extra, use para quitar suas dívidas. Caso você, por algum motivo, não tenha renda extra para receber em breve, pode pensar em realizar trabalhos fora do expediente. Isso lhe exigirá mais disciplina e comprometimento, mas este esforço sem dúvida será recompensado quando suas finanças saírem do vermelho. Você pode atuar como freelancer ou vender artigos que produz de forma online.


Importante: Com as finanças equilibradas e você sem dívidas, tente sempre economizar de forma automática, reservando, pelo menos, 10% da sua renda mensal para suas economias (quanto maior este percentual, melhor!) Esses 10% podem ser a sua reserva financeira ou um plano para sua aposentadoria – veja nossos artigo em nossos blog sobre investimentos (sim, você agora é um investidor!!!).


Quando você quitar suas dívidas, o próximo passo será se tornar um investidor cada dia melhor. Assim, saberá multiplicar suas economias e isso te deixará mais perto de realizar seus sonhos. Vamos começar a investir? Os investimentos são uma excelente ideia para construir um futuro tranquilo e não correr o risco de ver o dinheiro poupado ser consumido pela inflação.


As possibilidade são várias, os produtos são os mais diversos possíveis. Contudo, podemos consolidar os investimentos em:


a) Títulos de Renda Fixa: Tesouro Direto ou Certificados de Depósito Bancário (CDB);

b) Bolsa de Valores: Ações como as da Ambev ou da Petrobras;

c) Mercado Futuro: Dólar, Ibovespa e dentre outros.


O investidor inteligente estuda todas as oportunidades disponíveis e elege as que são mais interessantes para ajudá-lo a alcançar seus objetivos. A melhor parte é que você não precisa ficar preso em apenas uma das alternativas. Você pode (e deve!) diversificar seus investimentos. Essa atitude é bastante indicada, pois ajuda a garantir mais segurança e favorece a rentabilidade de suas aplicações. Ao investir não esqueça de:


1) Traçar um objetivo: Antes de investir, você precisa ter seu objetivo bem claro. Coloque no papel o que você deseja, o valor que você tem disponível e em qual prazo você pretende realizar o resgate da quantia.


2) Determinar seu perfil de investidor: No Mercado Financeiro existem opções de investimento para quem é mais conservador e tem disponibilidade para aguardar um tempo maior para realizar lucros. E também para quem é mais arrojado e aberto ao risco para ter retornos em um prazo menor.


3) Estudar as possibilidades: Analise sempre as várias opções antes de tomar uma decisão. Assim, você conseguirá encontrar uma aplicação que seja mais adequada ao que você deseja, além de aprender um pouco mais sobre esse universo.


4) Escolher um caminho e ser fiel a ele: Ao investir, você deve abrir e seguir um caminho. Para tanto você pode conversar no seu banco e ver quais investimento estão disponíveis ou abrir uma conta em corretora de valores. A segunda alternativa é mais interessante, pois assim você terá acesso a uma diversidade de opções em vários bancos e instituições financeiras.


5) Começar a investir: Não importa o valor, simplesmente comece a investir e faça que com isso seja um hábito em sua vida.


Importante: Se você tem dúvidas de como traçar uma estratégia que vai realmente valorizar seu capital, peça ajuda a um planejador financeiro ou um especialista em investimento, como o consultor de investimentos CVM; sem dúvida você conseguirá alcançar melhor seus objetivos e resultados tenho eles como seu parceiro ao seu lado! Um profissional com expertise sobre investimentos pode ser uma diferencial para que suas aplicações rendam bons frutos.


Assim, não se esqueça: 1 - Faça planos possíveis (Mantenha os pés no chão na hora de sonhar); 2 - Defina seus objetivos (Fica mais fácil agir no presente com o futuro em vista); 3 - Respeite seu orçamento (Seja um consumidor consciente); 4 - Poupe na medida (Não é preciso abrir mão de tudo que você gosta); e 5 - Valorize seu dinheiro (Invista nos melhores investimentos do mercado)


Com equilíbrio financeiro, você sempre poderá começar a investir e realizar seus objetivos, seus sonhos!


Faça como nossos clientes Persas: com determinação e disciplina, as suas conquistas financeiras poderão ser cada vez melhores!


Gostou do artigo e quer ajuda no seu planejamento financeiro? Nós da Persa Planejamento Financeiro podemos te ajudar!


Saiba mais em: www.persafinancas.com


Instagram: https://bit.ly/2PANIBK


Youtube: http://bit.ly/3e6v9j2


Linkedin: https://bit.ly/309LFXo


Facebook: http://bit.ly/3c0NbAH




11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo